Alexandre Barros Lopes

Publicado na data "" em "Região de Cister Júnior".

Palavrões das novas tecnologias

Com as novas tecnologias, começaram a aparecer cada vez mais “buzzwords”. Sabes o que são? Como o nome indica, é um “buzz” em torno de um novo termo, ou seja, um grande alarido, que tem como base o aparecimento de uma palavra até então desconhecida. Vem daí conheceres o significado de alguns “palavrões” da tecnologia.

O mundo da tecnologia é, e sempre foi, fonte de inúmeras buzzwords. Esta expressão inglesa refere-se a palavras e termos tecnológicos que são repetidos excessivamente em propostas de startups, campanhas de marketing ou palestras para tomar proveito da falta de conhecimento da população geral sobre as tecnologias mais recentes para aparentar serem mais modernos/inovadores. Já ouviste falar de “blockchain”, “criptomoedas” ou “machine learning”? Fizemos o nosso trabalho de casa, estudámos estes conceitos no livro “O Algoritmo Mestre”, de Pedro Domingos, na publicação “On the Origins and Variations of Blockchain Technologies”, de Alan T. Sherman, e ainda lemos o que dizem outros investigadores, para te explicar tudo.

Afinal, o que é uma blockchain?

As blockchains, expressão que, se tiveres interesse nas novas tecnologias, certamente já ouviste falar, são somente grandes grupos de registos ligados uns aos outros através de criptografia. Neste sistema cada registo reforça o anterior, criando uma corrente de registos, também chamados blocos, é daí que vem o termo blockchain. Tudo isto é gerido através de uma rede descentralizada de computadores.

Este tipo de organização de dados é particularmente útil em casos em que informação tenha de ser armazenada de forma a ser inalterável, nomeadamente, as criptomoedas. Por exemplo, quando uma transação é feita a informação que permite verificar que a troca ocorreu tem de ser guardada de forma que ninguém a possa alterar. Estes dados servem de “talão digital” e, da mesma forma que não gostarias que o recibo que recebes depois de uma compra fosse subitamente alterado, não convém que possam ser manipulados por ninguém.

Como tudo na vida, as blockchains também têm as suas desvantagens. A mais importante é o seu custo ambiental. Os computadores que formam a blockchain consomem quantidades altíssimas de eletricidade, o que está, indiretamente, a contribuir para as alterações climáticas.

Cripto, quê?

As criptomoedas são moedas digitais que funcionam através de blockchains. A mais famosa de todas é o bitcoin, contudo, existe um número gigantesco de alternativas (i.e. ethereum, monero ou até dogecoin), dado que não existe nenhum custo associado à sua criação, ao contrário das moedas físicas.

As criptomoedas são adquiridas de uma de duas formas, ou através de um câmbio de criptomoeda, de forma semelhante à aquisição de dólares, exceto que é tudo feito no computador, ou através da mineração.

Minerar, neste contexto, refere-se ao ato de utilizar o seu computador para lidar com transações, participar na blockchain, em troca de criptomoedas. Existem muitas empresas e indivíduos cuja atividade principal é gerir computadores poderosos que fazem esta mineração.

N.F.T?

OS N.F.T. (Non Fungible Tokens) são semelhantes às criptomoedas em conceito, também utilizam as blockchains e também podem ser comprados e vendidos (por centenas de milhares de dólares). Porém, cada N.F.T. é tratado como sendo diferente de todos os outros. Um euro e outro euro são indistinguíveis, enquanto a informação em cada N.F.T. é diferente, é a essa propriedade a que se chama a “fungibilidade”.

Os N.F.T. são todos fundamentalmente diferentes pois são apenas links para outra coisa. Este link pode levar a uma imagem, um livro ou até uma música. A questão é que os proprietários de um N.F.T. são apenas donos do token que compraram e não da imagem, por exemplo, que possa estar ligada à sua compra. Os críticos dos N.F.T. acreditam que isto seja prova que estejamos a lidar com um esquema de lavagem de dinheiro, pois nada está realmente a ser trocado, apenas um conceito abstrato de propriedade.

Comportamentos inteligentes

“Inteligência artificial” refere-se exclusivamente a máquinas que demonstram comportamentos inteligentes, embora não seja assim que muitos pensam que seja. Talvez perguntem, mas o que é um comportamento inteligente? Uma questão simples, mas que não podemos responder pois ninguém chega a acordo sobre o que é a inteligência, algo que os departamentos de marketing das empresas de software
se aproveitam.

Talvez penses em programas hiper inteligentes capazes de destruir o mundo quando ouves as palavras inteligência artificial, mas a realidade é que, apesar de o termo também incluir esse tipo de mente artificial, vinda diretamente dos livros de ficção científica, também engloba softwares mais simples. Se usar a definição mais abrangente de inteligência, até uma porta automática possui alguma forma de inteligência artificial.

Poder das máquinas

Machine learning, ou M.L., é uma das formas que a inteligência artificial se manifesta, o ato da máquina aprender. Parece contraditório dizer que uma máquina possa evoluir, mas é completamente concretizável. Utilizando algoritmos (outra forma de dizer processos) pré-programados podemos ajustar os valores que o programa utiliza internamente, para decidir que ação tomar em qualquer cenário que lhe for apresentado, com esperança de conseguir que, eventualmente, o computador tome a melhor decisão possível a maior parte do tempo.

Um dos casos mais comuns em que esta tecnologia é aplicada, e que todos interagimos com no nosso dia a dia, é o das redes sociais. O Youtube, Instagram, TikTok e todos as outras plataformas, grandes e pequenas, utilizam machine learning para te mostrar o conteúdo que te convença a passar mais tempo na app ou website. Os seus famosos algoritmos não são definidos por empresários de fato e gravata, mas sim pelas experiências passadas que teve com o utilizador,
são sistemas dinâmicos, que aprendem.

O Algoritmo

Nos últimos anos, o “algoritmo” passou de um termo técnico a uma entidade maléfica na mente dos leigos. Isto deu-se devido ao uso de Algoritmo, com “A” maiúscula e artigo definido, pelos centenas de milhares de influencers para descrever o método de seleção de conteúdo das suas respectivas plataformas. Um algoritmo é simplesmente uma série de ações finitas com o objetivo de resolver um dado problema.

No caso das redes sociais, “o Algoritmo” é a série de ações que eles executam para separar conteúdo que seja interessante ao utilizador e conteúdo que não. O teu computador, por exemplo, é apenas uma máquina que executa algoritmos, só segue séries de passos pré-programados para manipular e demonstrar a informação que lhe é dada da melhor forma possível.